Strong is the new sexy

A cronista Cátia Cardoso desmistifique algumas verdades absolutas sobre a modalidade que mais seguidores ganha em Portugal.

Em época festiva andamos todos a comer rabanadas, bolo rei, sonhos e fazemo-lo sem complexos e sem limites, ora porque treinamos o ano inteiro e o Natal são só dois dias, ora porque nunca treinamos mas o Natal são só dois dias.

Esta inevitabilidade fez-me lembrar de (mais) um mito que circula por aí e que quer fazer crer às meninas que o CrossFit vai torná-las grandes. Grandes as in volumosas, grossas, maciças, bulky. E depois exibem-se fotos como prova derradeira do que se afirma, com crossfitters largas (ou quadradas, como se queira ver a coisa) e musculadas dos pés à cabeça.

Pois é, pensam algumas meninas, se é para isso mais vale alargar de outra maneira, empanturrando-nos de doces e de fritos, em vez de pormos o esqueleto a mexer.

Desmistifiquemos: é verdade que diversos movimentos de halterofilismo fazem parte desta metodologia de treino e é normal que isso faça ganhar músculo. Mas isso só por si vai tornar-nos candidatas a Miss Músculo do ano? Nem pensar.

Em primeiro lugar, porque CrossFit é muito mais do que levantar barrinhas. Há movimentos de ginástica, exercícios de cardio, elementos de mobilidade, muita intensidade e variedade de combinações. Ora, tudo isto não gera um corpo quadrado.

Posted in Uncategorized.

Deixe uma resposta